Adicionar RSS




Há    visitantes  além dos   membros online no site neste momento booked.net booked.net booked.net


   Adicionar RSS de Decisões & Notícias

Decisões & Notícias

 
FILTROS
Direito Processual
Novas regras para aposentadoria valem a partir de hoje
|Previdência e Aposentadoria



Publicado em 18/06/2015

        BRASÍLIA, DF - A nova regra para o cálculo das aposentadorias, anunciada hoje (18) pelo governo, começa a valer imediatamente, com a chamada fórmula 85/95. A partir de agora, para se aposentar com direito ao benefício integral, o trabalhador vai somar o tempo de contribuição e a idade até chegar a 85 anos, no caso de mulheres, e 95 anos, no caso dos homens. A partir de 2017, o cálculo será acrescido de 1 ponto a cada dois anos, até 2019. Daí em diante, 1 ponto a cada ano até chegar a 90 (mulheres) e 100 (homens), em 2022.

       A mudança foi criada por medida provisória, que tem efeito imediato e validade de 120 dias até que seja aprovada pelo Congresso Nacional e se torne definitivamente lei. “A regra vale no momento em que se deu a opção do trabalhador pela aposentadoria”, explicou o ministro da Previdência, Carlos Gabas. O trabalhador que entrou com o pedido até ontem (17) não está enquadrado nas novas regras e terá a aposentadoria calculada somente pelo fator previdenciário.

       Para os novos pedidos, poderá ser aplicado o fator previdenciário ou a fórmula 85/95 com progressividade. Quem decidir se aposentar e não tiver atingido o número de pontos da nova fórmula no momento do pedido, o processo seguirá as regras de correção pelo fator, que reduz o benefício de quem para de trabalhar mais cedo. É necessária a contribuição mínima de 30 anos.

       Segundo o ministro, a nova regra não afeta o trabalhador rural porque a aposentadoria, nesse caso, é por idade, na condição de segurado especial. No caso dos professores, será mantida a condição especial para aposentadoria, com cinco anos a menos de tempo de contribuição que os demais trabalhadores. “A medida provisória preserva a regra de cinco anos a menos para professores do ensino infantil, fundamental e médio, como a Constituição prevê”, explicou Gabas.

       Ele disse que a principal mensagem do Executivo aos trabalhadores e aposentados é que o governo tem cuidado com a Previdência a partir da edição das novas regras de aposentadoria. “Nosso maior objetivo é a manutenção da proteção previdenciária, por isso, a adoção dessas regras. Precisamos garantir a sustentabilidade da Previdência porque esse é o maior valor para o aposentado, a garantia de que ele continuará tendo acesso a esse direito.” O ministro reconheceu que a nova regra é uma "solução momentânea" e que soluções para garantir a manutenção da Previdência no longo prazo serão discutidas no fórum que o governo criou, com a participação de empresários, centrais sindicais e aposentados.

       O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, lembrou que a medida não tem impacto no resultado primário do governo (receitas menos despesas), mas ajuda na sustentabilidade da Previdência. A meta de superávit primário é 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Levy disse que o governo continuará a fazer alterações microeconômicas que “ajeitam as coisas e o modo de funcionar a economia.”

       “[São mudanças] não só trabalhistas, mas na área de comércio exterior, por exemplo. Na área tributária, quando a gente melhora a arrecadação do PIS/Cofins. Essa agenda é exatamente a que a gente tem que fazer, ela vai de mãos dadas com o ajuste. É essa agenda de fazer o Brasil mais eficiente, o Brasil com menor custo”, destacou Levy.

Fonte:   ABr - Agência Brasil

Revisão: Mateus Matos

Leia mais sobre o mesmo tema: Previdência e Aposentadoria
» Comissão da reforma da Previdência recebe mais de 140 emendas ao texto -14/03/2017
» Maia defende mesma idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres -14/03/2017
» CCJ da Câmara aprova admissibilidade da PEC da Reforma da Previdência -15/12/2016
» Beneficiário de boa-fé não precisa restituir valores pagos a mais por erro da entidade de previdência privada -21/11/2016
» Supremo decide que desaposentação é ilegal -26/10/2016
» Associações questionam aposentadoria compulsória dos membros do MP -04/04/2016
» Servidor não deve ressarcir INSS se o erro em valores recebidos foi da administração -29/02/2016
» Aposentados não têm direito adquirido a manutenção do plano de saúde empresarial anterior -15/10/2015
» Aposentadoria compulsória para servidor aos 75 anos tem regulamentação aprovada -29/09/2015
Leia mais sobre a mesma matéria: Direito Processual
» Senado vai aguardar decisão do STF e Renan não assina notificação de afastamento -06/12/2016
» Mesa do Senado não cumpre liminar do STF e mantém Renan -06/12/2016
» Penhora não pode recair sobre honorários advocatícios -29/07/2016
» Advogada é condenada em quatro Juizados Especiais Cíveis por fraude -16/06/2016
» Ministro do STF decide que Moro deve investigar parentes de Cunha -15/03/2016
» STJ: Advogados não conseguem impedir exibição de contratos firmados com clientes -08/01/2016
» Honorários de sucumbência devem ser divididos entre todos os advogados que atuaram na causa -23/06/2015
» Advogado substabelecido não pode cobrar honorários sem intervenção do substabelecente -18/05/2015
» Advogados vencedores em ação não conseguem cobrar sucumbência de seu próprio cliente -15/05/2015
684 visitantes leram este conteúdo até o momento


    Nenhum comentário a respeito, até o momento.






Deixe sua opinião:
Por favor, desligue o CAPS-LOCK.



PESQUISA
DIGITE A PALAVRA:


ESCOLHA EM QUE CAMPO PESQUISAR:


Todas as palavras
Expressão exata