Adicionar RSS




Há    visitantes  além dos   membros online no site neste momento booked.net booked.net booked.net


   Adicionar RSS de Decisões & Notícias

Decisões & Notícias

 
FILTROS
Direito Constitucional
Ministro do STF nega pedido para interromper PEC dos Gastos na Câmara
|Poderes da República |PEC 241



Publicado em 10/10/2016

        BRASÍLIA, DF - O ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), rebateu hoje (10) a avaliação do Ministério Público Federal sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos do país pelos próximos 20 anos. Na sexta-feira (7), a Procuradoria-Geral da República (PGR) considerou a PEC inconstitucional em uma nota técnica enviada ao Congresso Nacional.

No documento, a Secretaria de Relações Institucionais da PGR sugeriu que a proposta fosse arquivada por entender que a PEC transformaria o Executivo em um “super órgão” e “ofende” a independência e autonomia dos poderes Legislativo, Judiciário, do Ministério Público e demais instituições do Sistema de Justiça.

“Eu confesso que nem consigo entender o alcance dessa proposta [do MPF]. Significa que o Ministério Público deve poder gastar ou que a União deve fazer dívida para sustentar o Ministério Público? É essa a questão que se coloca? Eu confesso que essa colocação do Ministério Público foge ao meu alcance, talvez seja muito elevada para a minha concepção e para a minha inteligência”, disse Mendes ao ser questionado sobre o tema por jornalistas.

Procuradores da República

“Significa que a União está obrigada a se endividar para pagar os ricos procuradores da República? É disso que estamos falando? Ou mais ainda: significa que uma dada área não pode sofrer cortes e os outros podem sofrer cortes?”, completou o ministro. Gilmar Mendes disse, ainda, que na Justiça Eleitoral está sendo feito um parecer que expressa opinião contrária aos argumentos do MPF.

“Há um outro argumento: de que o legislador do futuro estaria vinculado a esta PEC. O legislador do futuro poderá modificar a PEC se entender adequado desde que haja condições. Eu não sei nem qualificar o absurdo dessa proposta. É um absurdo completo essa divagação do Ministério Público”, disse o ministro.

Mendes esteve presente na manhã de hoje ao 1º Seminário Acadêmico - As Organizações Sociais e a Gestão de Serviços Públicos, realizado em Brasília, e falou ao final da abertura com os jornalistas. O ministro também foi questionado a respeito de uma ação que tramita no STF sobre a PEC. Também na sexta-feira, deputados do PT e do PCdoB protocolaram no STF uma ação para suspensão imediata da tramitação da proposta. O mandado de segurança é de relatoria do ministro do STF Roberto Barroso.

Eventuais restrições a gastos

“Eu não vejo possibilidade de se suspender uma deliberação que ainda é uma deliberação somente da Câmara em razão de eventuais restrições a gastos. Até porque as restrições a gastos são normais em momento de constrangimento fiscal como esse que nós estamos vivendo” disse Mendes. O ministro lembrou que a proposta será votada em dois turnos na Câmara dos Deputados para depois seguir para outros dois turnos no Senado Federal.

Fonte:   ABr - Agência Brasil

Revisão: Mateus Matos

Not?cias diretamente relacionadas:
» PEC que limita gasto federal é inconstitucional, diz Procuradoria -10/10/2016
» Ministro do STF rebate Ministério Público sobre PEC dos gastos públicos -10/10/2016
Leia mais sobre o mesmo caso: PEC 241
» Economistas se dividem sobre PEC do Teto em audiência no Senado -08/11/2016
» Câmara aprova em segundo turno PEC que limita gastos públicos por 20 anos -26/10/2016
» Câmara aprova PEC dos Gastos Públicos -10/10/2016
» PEC que limita gasto federal é inconstitucional, diz Procuradoria -10/10/2016
» Ministro do STF rebate Ministério Público sobre PEC dos gastos públicos -10/10/2016
Leia mais sobre o mesmo ramo de atividade: Poderes da República
» Advogados aprovados em concurso público da CEF têm reconhecido direito a posse -13/06/2018
» Temer decreta Garantia da Lei e da Ordem em todo país até 4 de junho -26/05/2018
» STF aprova restrição do foro privilegiado para deputados e senadores -04/05/2018
» STJ edita seis novas súmulas -16/09/2017
» Conselho de Ética do Senado arquiva em definitivo pedido de cassação de Aécio Neves -06/07/2017
» Criada comissão especial que vai analisar reforma política do Senado que pode adiar as eleições de 2018 para 2020 -04/05/2017
» Justiça condena Eduardo Cunha a 15 anos de prisão por corrupção, lavagem e evasão de divisa -30/03/2017
» Comissão da reforma da Previdência recebe mais de 140 emendas ao texto -14/03/2017
» Maia defende mesma idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres -14/03/2017
Leia mais sobre a mesma matéria: Direito Constitucional
» STF proíbe a realização de conduções coercitivas -14/06/2018
» STF decide que só julgará ministros por crime ligado ao cargo -12/06/2018
» STF suspende voto impresso nas eleições de 2018 -06/06/2018
» STJ não admite suspensão de passaporte para coação de devedor -05/06/2018
» TST concede liminar para impedir greve de petroleiros -30/05/2018
» Justiça rejeita denúncia contra ‘tomataço’ em Gilmar Mendes -30/05/2018
» STF autoriza tomada de medidas para desobstrução de rodovias -26/05/2018
» Temer decreta Garantia da Lei e da Ordem em todo país até 4 de junho -26/05/2018
» MPF diz não haver razão para impedir curso sobre ‘Golpe de 2016’ na UFPB -23/05/2018
423 visitantes leram este conteúdo até o momento


    Nenhum comentário a respeito, até o momento.






Deixe sua opinião:
Por favor, desligue o CAPS-LOCK.



PESQUISA
DIGITE A PALAVRA:


ESCOLHA EM QUE CAMPO PESQUISAR:


Todas as palavras
Expressão exata


Active Server Pages error 'ASP 0113'

Script timed out

/default.asp

The maximum amount of time for a script to execute was exceeded. You can change this limit by specifying a new value for the property Server.ScriptTimeout or by changing the value in the IIS administration tools.