Adicionar RSS




Há    visitantes  além dos   membros online no site neste momento booked.net booked.net booked.net


   Adicionar RSS de Decisões & Notícias

Decisões & Notícias

 
FILTROS
Direito Constitucional
Após protestos, Câmara retira da pauta projeto de lei que anistiaria caixa 2
|Eleições |Poderes da República |Operação Lava Jato



Publicado em 20/09/2016

        BRASÍLIA, DF - Depois de uma hora de interrupção, a sessão da Câmara dos Deputados para negociar a votação do projeto de lei (PL) 1210/2007, que trata sobre as pesquisas eleitorais, a propaganda eleitoral e o financiamento de campanha, entre outros, foi retomada com polêmica em torno da votação da proposta. Isso porque, o projeto, que visava também criminalizar a prática de caixa 2, estava se transformando em uma anistia a quem incorreu na prática.

       A iniciativa foi vista como uma manobra. Diante dos protestos e dos apelos, o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que presidia os trabalhos, cedeu e retirou de ofício o projeto, que poderá voltar à pauta da Casa em outra oportunidade. Ele anunciou que haviam dois requerimentos sobre a mesa: uma para retirada de pauta e o outro para votação nominal do projeto.

       Deputados contrários ao projeto criticaram a iniciativa de Mansur e insisitiram que a votação fosse nominal para constar no painel a posição de cada parlamentar sobre anistia. “Queremos a votação nominal para que fique no painel quem quer anistiar o caixa 2. Querem jogar daqui para a frente [a criminalização] e esquecer o passado”, disse o líder do PSOL, Ivan Valente (SP).

       A votação do projeto foi questionada desde o início da sessão que aprovou a Medida Provisória 734/16, que destinou apoio financeiro de R$ 2,9 bilhões para auxiliar nas despesas com segurança pública do estado do Rio de Janeiro em decorrência da realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

       Desde o início da ordem do dia, deputados do PSOL, PDT, PSB, Rede e PT reclamaram da inclusão do projeto na pauta com o argumento de que ele tinha recebido emendas que acabam dando anistia para a prática de caixa 2.

       Os parlamentares avaliaram que a manobra seria conseguida a partir da aprovação de uma emenda tornando crime a prática. “Não quero impedir outros assuntos de serem analisados na sessão, mas quero atrapalhar essa história de anistia de caixa 2, que é crime”, criticou o deputado Miro Teixeira (Rede-RJ). “Não é toleravel propor uma medida como essa sem nenhuma discussão. Isso é desrespeitar os deputados”.

       O entendimento é que, se houver a criminalização do caixa 2, a partir de então a lei não poderá retroagir em desfavor do acusado. Desta forma, todas as práticas adotadas antes da lei entrar em vigor são automaticamente anistiadas. “Corre um boato de que uma emenda aglutinativa está sendo preparada para permitir a anistia de caixa 2”, disse o líder da Rede, Alessandro Molon (RJ).

       Questionamentos

       Os protestos fizeram com que Mansur suspendesse os trabalhos para tentar um acordo que viabilizasse a votação, mas sem êxito. Retomados os trabalhos, os questionamentos em torno da legalidade da votação aumentaram.

       Teixeira apresentou uma questão de ordem argumentando que o texto, de 2007, não poderia ser votado, uma vez que já havia sido rejeitado. Mansur argumentou que a rejeição recaía sobre duas emendas e que a sua intenção era votar o texto original. Ele também reafirmou que a nova votação abriria a possibilidade de serem apresentadas emendas.

       Molon, seguido de outros parlamentares alertaram sobre a existência de decisão da Casa proibindo a retomada da discussão e apresentação de emendas a matérias em fase de votação. “Essa sessão não vai terminar bem”, disse Molon.

       Diante da insistência de Mansur em votar a matéria, deputados gritavam que a votação seria um “golpe”. “Isto aqui é golpe, a Casa não pode passar por isso”, criticou Teixeira. Mansur ainda argumentou, antes de retirar o projeto da pauta e encerrar os trabalhos. “Fui escolhido para presidir essa sessão. Quero informar que eu não sou o autor desse projeto, eu retirei de ofício”, disse.

       

Fonte:   ABr - Agência Brasil

Revisão: Mateus Matos

Leia mais sobre o mesmo caso: Operação Lava Jato
» STF recebe denúncia contra Aécio Neves por corrupção passiva e obstrução à justiça -18/04/2018
» TRF4 confirma condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva -26/01/2018
» STJ nega habeas corpus em favor do ex-presidente Lula -26/01/2018
» Tribunal aumenta pena de Renato Duque e absolve Vaccari por colaboração com insuficiência de provas na 2a instância -28/06/2017
» Ex-governador Sérgio Cabral é condenado a 14 anos e 2 meses de prisão -13/06/2017
» Tribunal dispensa Lula de comparecer a depoimentos de 87 testemunhas de defesa -04/05/2017
» Supremo revoga prisão preventiva de José Dirceu na Lava Jato -02/05/2017
» Presidente do STF homologa delações da Odebrecht -30/01/2017
» Eduardo Cunha é preso pela PF em Brasília -19/10/2016
Leia mais sobre o mesmo ramo de atividade: Poderes da República
» STF aprova restrição do foro privilegiado para deputados e senadores -04/05/2018
» STJ edita seis novas súmulas -16/09/2017
» Conselho de Ética do Senado arquiva em definitivo pedido de cassação de Aécio Neves -06/07/2017
» Criada comissão especial que vai analisar reforma política do Senado que pode adiar as eleições de 2018 para 2020 -04/05/2017
» Justiça condena Eduardo Cunha a 15 anos de prisão por corrupção, lavagem e evasão de divisa -30/03/2017
» Comissão da reforma da Previdência recebe mais de 140 emendas ao texto -14/03/2017
» Maia defende mesma idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres -14/03/2017
» Presidente do STF homologa delações da Odebrecht -30/01/2017
» Ministro do STF suspende tramitação do projeto de medidas contra a corrupção -15/12/2016
Leia mais sobre o mesmo tema: Eleições
» Supremo decide que Emissoras de TV podem convidar candidatos de menor representatividade para debates eleitorais -25/08/2016
» Gilmar Mendes diz que Lei da Ficha Limpa foi “feita por bêbados" -17/08/2016
» TRE-SP confirma que Michel Temer está inelegível por oito anos -02/06/2016
» TSE determina que o PSDB devolva ao erário cerca de R$ 1,1 milhão devido à aplicação irregular dos recursos do Fundo Partidário. -27/04/2016
» STF suspende norma que permitia doações anônimas a candidatos -12/11/2015
» Dilma veta financiamento empresarial de campanhas eleitorais -29/09/2015
» Supremo declara inconstitucionalidade de financiamento eleitoral por empresas privadas -18/09/2015
» Empregado da Petrobrás não consegue licença remunerada para concorrer a cargo de vereador -22/08/2012
» Juiz suspende decisão de tirar Facebook do ar -11/08/2012
Leia mais sobre a mesma matéria: Direito Constitucional
» MPF diz não haver razão para impedir curso sobre ‘Golpe de 2016’ na UFPB -23/05/2018
» Candidato negro aprovado na ampla concorrência não preenche vaga de cotista -09/05/2018
» MPF defende autonomia universitária na definição de conteúdos de disciplinas acadêmicas -04/05/2018
» STF aprova restrição do foro privilegiado para deputados e senadores -04/05/2018
» Ministério Público tem legitimidade para pleitear remédios e tratamentos para beneficiários individualizados -03/05/2018
» STF julga constitucional resolução sobre utilização das interceptações telefônicas pelos membros do MP -26/04/2018
» Liminar suspende lei paulista sobre presença de farmacêuticos no transporte de medicamentos -16/04/2018
» Em debate sobre intervenção, juristas defendem validade de mandados coletivos -13/04/2018
» STF nega habeas corpus preventivo ao ex-presidente Lula -05/04/2018
405 visitantes leram este conteúdo até o momento


    Nenhum comentário a respeito, até o momento.






Deixe sua opinião:
Por favor, desligue o CAPS-LOCK.



PESQUISA
DIGITE A PALAVRA:


ESCOLHA EM QUE CAMPO PESQUISAR:


Todas as palavras
Expressão exata