Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

Justiça condena consumidor por comentário ofensivo nas redes sociais

Os desembargadores da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio mantiveram decisão de primeira instância e condenaram o consumidor insatisfeito Aroldo Almeida dos Santos a pagar uma indenização de R$10 mil, por danos morais, ao responsável pelo Posto Estação de Teresópolis Serviços LTDA. No processo, o estabelecimento afirma que passou por constrangimento com campanha difamatória publicada através de postagens nas redes sociais, acusando a empresa de fornecer combustível com bomba adulterada de modo a lesar consumidores.

Em seu voto, o desembargador Luiz Roldão de Freitas Gomes Filho, relator do recurso de apelação, destacou que o limite ao direito à livre manifestação de pensamento é justamente o direito individual à inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem. De acordo com o magistrado, quando depreciadas ou desvalorizadas por publicações inadequadas, sofrem violação contra a qual a própria Constituição assegura indenização por dano moral.

“O excesso de linguagem em publicações nas redes sociais pode desbordar da mera exposição do pensamento individual para a ofensa à honra objetiva ou subjetiva, configurando o ilícito passível de indenização”, escreveu o relator.

MM