Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

TST mantém justa causa na demissão de bancário com Aids

Depois de ter sido suspensa sob a alegação de preservar a segurança dos padres e pastores evangélicos após tentativas de rebeliões, a assistência religiosa nos presídios de Mato Grosso do Sul volta a ser liberada. A medida foi comunicada à Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Estado pelo juiz Alexandre Antunes da Silva, da 1ª Vara de Execuções Penais, e pelo diretor-presidente da Agência Penitenciária do Estado (Agepen), coronel Hilton Vilassanti Romero.

A decisão atende a gestões feitas à Justiça e ao governo pelo presidente da OAB-MS, Fábio Trad, e pela Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da entidade. Lideranças evangélicas e católicas vinham pedindo o apoio da OAB-MS para que a entidade intercedesse junto ao secretário de Justiça e Segurança, Vantuir Jacini, no sentido de ver liberada a prestação da assistência religiosa aos presidiários.

Seja o Primeiro a Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MM