Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

Parlamento dos EUA aprova lei que proíbe apostas online

As empresas mundiais de apostas pela internet enfrentam, a partir desta segunda-feira, uma de suas maiores crises com a notícia de que o Parlamento americano aprovou uma lei que proíbe qualquer tipo de jogo de azar pela internet nos Estados Unidos.

A decisão, tomada no último sábado pelo Senado e pelo Congresso americanos, segue agora para a aprovação do presidente dos EUA, George W. Bush, o que ameaça centenas de empregos e reflete em baixas nas ações do segmento, segundo analistas. As perdas podem chegar a US$ 6,5 bilhões por ano.

Se aprovada por Bush, a lei tornará ilegal para bancos e administradoras de cartão de crédito o pagamento de apostas em jogos de azar pela internet.

A britânica PartyGaming, detentora do site de pôquer PartyPoker.com – um dos portais de apostas online mais populares do mundo -, e as rivais Sportingbet e 888.com afirmaram que terão que se contentar com a saída dos Estados Unidos, seu maior mercado, dos planos de investimentos. De acordo com a britânica PartyGaming, o público americano gera cerca de 78% dos lucros da companhia, contra 62% para a Sportingbet.

– Esta ação representa um claro regresso para nossa companhia, nossos acionistas, nossos clientes jogadores e nossa indústria – afirmou à Reuters o diretor executivo da PartyGaming, Mitch Garber.

Para o analista Julian Easthope, da UBS, a aprovação por parte do presidente é esperada.

– Acreditamos que isso trará impactos materiais concretos em longo prazo para o mercado de apostas online, em especial para o pôquer – disse Easthope

Por Mateus Matos