Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

Revolução, Golpe de Estado, Contra-revolução e Globalização

REVOLUÇÃO

– Origem:

Platão desconhecia conceito de revolução. Aristóteles achava ser “ciclos de governo”, mudança na composição da classe governante e não alterações fundamentais; nem mesmo nas esferas sociais e econômicas. Até Maquiavel era alheio á compreensão dos tipos de transformações políticas.

– Definição

Palavra criada na renascença e usada como termo político no Séc. XVII para indicar uma ordem preestabelecida que foi perturbada. A mudança definitiva do significado ocorreu durante a revolução Francesa a partir dela passa a ser “fé na possibilidade de criação de uma nova ordem “, que não só busca a liberdade nas velhas instituições como cria novos instrumentos para a liberdade.

“Só se pode falar em Revolução, quando a mudança se verifica com vistas a um novo início, quando se faz uso da violência para constituir uma nova forma de governo absolutamente nova e para tornar real a formação de um novo ordenamento político, e quando a libertação da opressão visa pelo menos á instauração da liberdade”.(Arendt, 1963, p.28). Para Marx a Revolução seria o instrumento essencial para a conquista da liberdade e um meio para a conseguir a igualdade (perspectiva de consecução simultânea de liberdade e felicidade para o homem produtor). Atualmente Revolução é símbolo poderoso da sociedade que quer vitória sobre a opressão e sobre a escassez de recursos. A Revolução tem o papel de desafiar impunemente o governo e a legitimidade do regime pondo em dúvida a validade e eficácia dos seus instrumentos coercitivos. Revolução é a tentativa, acompanhada do uso da violência, de derrubar as autoridades políticas existentes e de as substituir, a fim de efetuar profundas mudanças nas relações políticas, mo ordenamento jurídico-constitucional e na esfera sócio econômica.

• Causas:

Primárias:

O impulso para tal é o desejo da igualdade devido a convicção de serem diferentes (uns superiores, outros inferiores).

Psicológica:

Para Aristóteles era a incapacidade das instituições face às necessidades sociais.

Segundo Marx e Toqueville Revolução é quando um longo período de crescente prosperidade social, se segue de uma repentina recessão, portanto a causa primária seria o tema de que as conquistas de longo prazo, percam-se rapidamente. A convulsão violenta da ordem política racional faz-se devido à “privação relativa”, quando a capacidade potencial está em proporção menor que a expectativa média dos homens, gerando insatisfação.

A doutrina marxista ortodoxa pensa que a Revolução é mola propulsora e que ocorre devido a contradições entre: força produtiva /relação social e organização do poder político.

As mudanças na estrutura econômica social geram a necessidade de adaptação política. A Revolução é a passagem do poder político de uma classe social á outra de acordo com seu papel no processo de produção.

– “Aceleradores”:

São acontecimentos que provam a inabilidade da elite em manter o monopólio da força, a exemplo da cisão da elite dominante. Conseqüentemente afetam a disciplina, organização e lealdade das forças armadas e polícia, são feitas conspirações ás autoridades por pequenos grupos de guerrilha.

Assim, a solidez das forças armadas que condicionam o êxito da Revolução .O apoio desse grupo ou abstenção resultará na vitória revolucionária.

• Conseqüência:

– radicalização da luta

– esvaziamento progressivo da base de sustentação do regime

• Situação Objetivamente revolucionária:

– Insuficiente legitimação da elite governamentista aos olhos da nação

– Existência de tensões que possam ser resolvidas com meios habituais com canais normais

– Percepção por parte dos opositores de que todos os meios legais para obter mudanças sociais e políticas falharam.

– Tipos:

– Revolução de massa (sentido estrito)

Pretende subverter fundamentalmente as esferas políticas, sociais e econômicas.Grande participação popular e luta prolongada, a violência interna é elevada.

– Revolução Moderna

Dividem a sociedade em dois grupos antagônicos que lutam pelo poder objetivando conquista ou manutenção.

– Revolução Permanente:

Elementos (enunciada por Trotski em 1905)

– Interpretação, justificação e explicação da Revolução em um país pouco industrializado e da “superação” da formal Revolução Democrática Burguesa.

– Teorização e exposição da necessidade de expansão, nos países industrializados e um movimento operário solidário á nível internacional á revolução socialista.

– País atrasado, burguesia ausente ou subjugada ao capital estrangeiro.O proletariado e os camponeses tentarão a emancipação nacional, transformando a Revolução Democrática Burguês em ditadura do proletariado atingindo o direito de propriedade.

– Revolução Ininterrupta

Constante mobilização das massas e contínuo estado de tensão, formado por camponeses.Noção de imprescindível expansão internacional da revolução. GOLPE DE ESTADO

– Definição:

Substituição das autoridades políticas existentes dentro do quadro institucional, sem nada ou quase nada mudar nos mecanismos políticos e sócio-econômico. Feito por escassos números de homens pertencentes á elite.

– Tipos:

– Golpe de estado reformista

Mudanças mais ou menos importantes na estrutura da autoridade política e transformações sócio-econômicas limitadas. Participação popular escassa, luta breve, violência baixa.

– Golpe de estado palaciano

Visam unicamente substituir os lideres políticos. A participação popular é nula, com lutas brevíssimas e violência interna limitada, depois não se consolidam no poder.Conquistam o poder e o administram sós, porém não conseguem transição objetiva (político-institucional e sócio- econômico).

CONTRA REVOLUÇÃO

Substituição das classes que detém o poder. É a mudança conseqüente das relações sócio-econômicas, devendo promover imediatamente a reorganização do aparelho estatal. Os líderes devem fazer com que o novo funcionamento não gere insatisfação para que os adeptos voltem a apoiar o sistema pré-revolucionário.

Toda Revolução vitoriosa enfrenta Contra-Revolução feita pelas classes destruídas e os ex-revolucionários. Ocorre lentamente e poucas vezes destrói todas as transformações revolucionárias. Agem imediatamente seguintes ás Revoluções, aproveitando o descontentamento das massas na fase de adaptação.

Lutarão por uma gestão moderna do poder até compatibilizando com os interesses das massas já mobilizadas. Tentam impedir uma completa mudança que comprometa seriamente o poder dos grupos dominantes. É um processo complexo e prolongado. GLOBALIZAÇÃO

A Globalização esta presente em nosso cotidiano, e a todo o momento se houve falar nesse termo. Alguns autores tratam a Globalização como um fenômeno que vêm ocorrendo e se propaga até os dias atuais. Seguindo essa forma de pensar estão aqueles que vêem a Globalização como “[…] um processo de homogeneização […]” (Vieira, 2002, p.70) que resultaria em uma padronização dos comportamentos e atitudes.Desta forma acabaria com toda a diversidade cultural da humanidade. Uma outra forma de ver a Globalização mostrada por Liszt Viera seria um processo distinto, onde esta não se opõe a diversidade cultural. O fato é que a globalização é um processo fatal que ocorre não podendo negá-lo.

O “adjetivo Global surgiu no começo dos anos 80, nas grandes escolas americanas de administração de empresas […]”.(Chesnais, 1996, p.23). O termo foi utilizado na área de administração de empresas para se referir a uma nova forma de organizar as estratégias internacionais das grandes empresas, baseados em instrumentos de comunicação e controle. Falar em globalização é sem dúvida falar em uma revolução dos meios de comunicação. Estes serviram de apoio e base para que a globalização ocorra. Um “novo mundo” surge, este, porém sem fronteiras. Com ele surgem também as empresas sem nacionalidade, pois estão presentes em todo o globo. “A terra mundializou-se de tal maneira que o globo deixou de ser uma figura astronômica para adquirir mais plenamente sua significação histórica”.(Ianni, 2002, p.13). A Globalização é associada ao processo econômico, devido à ampliação de mercados, circulação de capitais e integração das etapas produtivas. Esta, porém se expande á área social, com um pensamento voltado para a esfera mundial. O inicio da Globalização se dá na década de 60 quando começa a ocorrer uma nova divisão do trabalho com a expansão das empresas transnacionais. Após a grande crise dos anos 70 e 80 inicia-se uma nova era sustentada pela revolução na informática e nas comunicações. Esse desenvolvimento da informática e das comunicações trouxe a descentralização dos processos produtivos e por conseqüência uma maior concorrência internacional, o que acelerou a internacionalização.

• Dimensões:

Segundo Liszt Vieira existem cinco dimensões da Globalização, que são:

– Econômica- Política- Social- Ambiental- Cultural

• Econômica:

Os grandes conglomerados e as grandes empresas internacionais seriam os principais agentes da globalização. Estes grandes grupos detêm uma quantidade de capital imensa e é através do controle deste que determinam e comandam a economia global, pois esta é cada vez mais “resumida” ao mercado financeiro. São eles que decidem sobre as taxas de juros, câmbio e etc.

• Política:

Um novo espaço público esta sendo criado com a globalização. Espaço este transnacional que tem como base a defesa nacional como uma questão planetária. Esses aspectos transnacionais devem ser prioritários, pois para se poder administrar uma ordem internacional não se pode basear em Estados-Nação.

• Social:

Com a globalização surgem grandes problemas sociais. Para poder se reestruturar economicamente o capitalismo nutriu-se de exclusão social e degradação ambiental. O preço para a população mundial foi a fome e o empobrecimento.

• Ambiental:

Os problemas ambientais tornaram-se questões globais. Com o desenvolvimento tecnológico o homem aumentou o seu domínio sobre a natureza, e com ele a sua destruição.

• Cultural:

Toda a cultura mundial se transformou com a globalização. Houve um processo chamado de americanização do mundo “american way of life” uma verdadeira invasão dos produtos importados as prateleiras. Hoje em dia é possível adquirir qualquer tipo de produto de qualquer país. O que se observa é um maior intercâmbio cultural entre os paises e uma maior difusão das culturas mundiais.

MM