Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

Justiça prossegue com a proposta de compra da Varig

O juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio, concedeu hoje (dia 28 de junho) à VarigLog um prazo de 24 horas para detalhamento da proposta de compra da Varig, tendo em vista a complexidade do negócio. Segundo ele, os esclarecimentos a serem recebidos serão encaminhados ao administrador judicial da companhia aérea e ao Ministério Público para análise da viabilidade da negociação. Na última segunda-feira, a empresa havia depositado mais de US$ 3 milhões, cerca de R$ 8 milhões, a fim de cobrir as despesas operacionais. Ontem, terça-feira, foram depositados em torno de US$ 1,5 milhão e, hoje, mais US$ 300 mil, conforme promessa anterior da VarigLog de fazer depósitos de até US$ 20 milhões.

O juiz esclareceu ainda que após análise da Justiça, do MP e do administrador judicial, se viável, será feita uma nova assembléia de credores e convocação posterior de outro leilão, que ainda não tem data definida, para formalizar a proposta da VarigLog.

Na madrugada do último sábado, a Agência Nacional de Aviação (Anac) aprovou a venda da VarigLog para a Volo do Brasil – empresa criada pelo fundo americano Matlin Patterson, investidores brasileiros e de Macau – , abrindo caminho, assim, para que a ex-subsidiária de transporte de cargas da Varig compre a empresa aérea. Um dos pontos de discussão, porém, dizia respeito à continuidade da antiga Varig, que, de acordo com o plano de recuperação judicial aprovado pelos credores, fica com a dívida passada, com preservação de ativos não-operacionais e participação de 5% antiga na nova Varig, além da preservação de empregos, entre outros.

Também hoje, o juiz Robert Drain, da Corte de Falências de Nova York, decidiu manter, até o dia 21 de julho, o prazo limite de validade da liminar que garante proteção às aeronaves da Varig contra o arresto (apreensão) por parte dos arrendadores. O prazo havia sido ampliado na semana passada para esta quarta-feira.

Por Mateus Matos