Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

Luta de classes gira em torno da informação, diz deputado

O deputado Walter Pinheiro (PT-BA) acredita que uma nova luta de classes está sendo travada, desta vez “entre os que acessam e os que não têm direito de acessar a informação”. O parlamentar participou de painel sobre o papel do poder público na inclusão digital, na 3ª Assembléia Geral da Associação Internacional de Parlamentares para a Tecnologia da Informação (Ipait).

Na opinião de Walter Pinheiro, “o desafio do evento é provocar o Parlamento para tratar do acesso à informação como política de estado”. Ele citou a geração de empregos de alto nível e a redução da desigualdade social como aspectos essenciais do investimento em tecnologia. Pinheiro também comparou o Brasil à Coréia do Sul no que diz respeito ao número de internautas existentes. Enquanto na Coréia existem 552 internautas para cada mil habitantes; no Brasil existem apenas 82.

Investimentos

Ainda de acordo com Walter Pinheiro, um dos principais assuntos discutidos atualmente é se o desenvolvimento tecnológico deve ser patrocinado pelo Estado ou deixado a cargo do mercado. Citando os Estados Unidos e o Japão, o deputado afirmou que os investimentos estatais em pesquisa e desenvolvimento feitos nesses países criaram segmentos empresariais pioneiros. O parlamentar fez um resumo do desenvolvimento tecnológico no Brasil, com destaque para o papel do Estado na criação de empresas de telecomunicações durante a ditadura, por exemplo.

Exclusão

A exclusão digital no Brasil, que pode atingir 150 milhões de pessoas, foi explicada por Walter Pinheiro. Ele acredita que um dos motivos dessa exclusão é o alto custo dos serviços, causado pela carga tributária e pela submissão da indústria nacional aos conglomerados mundiais.

O deputado também cobrou a aplicação dos recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) na inclusão digital.

Seja o Primeiro a Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MM