Pressione "Enter" pra pular este conteúdo

TST: vai a julgamento o dissídio da CEF

Não houve acordo na audiência hoje realizada no Tribunal Superior do Trabalho entre a direção da Caixa Econômica Federal e os funcionários, representados pela Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito – CONTEC.

O dissídio coletivo será julgado em sessão extraordinária quinta-feira, dia 30. Dia 30 é feriado no Distrito Federal, mas o expediente será normal no TST.

Para que o julgamento pudesse ser realizado com celeridade, o Ministério Público do Trabalho, atendendo a pedido do presidente do TST, ministro Almir Pazzianotto, instrutor da audiência de conciliação, apresentará parecer até quarta-feira, e o ministro sorteado relator, Milton de Moura França, concordou em dar prioridade ao processo.

O presidente do TST fez, na audiência, a seguinte proposta de acordo: aceitação de 35 cláusulas sociais oferecidas pela CEF; manutenção da data-base em 1º de setembro; abono único de R$900,00, pago em três parcelas iguais, em novembro, dezembro e janeiro; prosseguimento do programa de implantação do ponto eletrônico; e substituição opcional da Carteira de Trabalho e Previdência Social por cartão magnético.

A direção da Caixa recebeu com entusiasmo a idéia da opção pelo cartão magnético, lembrando a existência do “Cartão do Trabalhador”, que permite a 35 milhões de trabalhadores o acesso imediato às contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. “Seria – disse o ministro Almir Pazzianotto – um avanço de 50 anos na área da administração de recursos humanos.”

Seja o Primeiro a Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *