Adicionar RSS




Há    visitantes  além dos   membros online no site neste momento booked.net booked.net booked.net


   Adicionar RSS de Decisões & Notícias

Decisões & Notícias

 
FILTROS
Direito Processual Constitucional
STF nega liminar que pedia suspensão do trâmite de PEC que reduz maioridade penal
|Infância e Juventude |Redução da Maioridade Penal



Publicado em 12/07/2015

        BRASÍLIA, DF - O ministro Celso de Mello, no exercício da Presidência do Supremo Tribunal Federal, negou pedido de liminar no Mandado de Segurança (MS) 33697, impetrado por parlamentares federais contra ato da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados que submeteu ao Plenário daquela Casa o exame da Emenda Aglutinativa 16. Essa proposição foi aprovada, em primeiro turno, no âmbito de tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/1993, que dispõe sobre a redução da maioridade penal.

Na decisão, o ministro Celso de Mello destacou que a concessão de medida liminar em mandado de segurança depende da satisfação de três requisitos fundamentais: a plausibilidade jurídica do pedido, a ocorrência de situação configuradora de “periculum in mora” e a caracterização de hipótese de dano irreparável.

O decano do Supremo destacou informação recebida pelo presidente da Câmara dos Deputados, segundo o qual o segundo turno da votação só ocorrerá depois do recesso parlamentar. “Esse dado oficial permite vislumbrar, ao menos em sumária cognição, a descaracterização do requisito concernente à ocorrência de qualquer dano potencial, especialmente se se considerar que o início iminente do recesso parlamentar (CF, artigo 57, caput) parece efetivamente afastar a possibilidade de o procedimento ritual de reforma constitucional pertinente ao artigo 228 da Carta Política concluir-se de imediato na Câmara dos Deputados, ainda que o segundo turno de discussão (não, porém, de votação) possa ter lugar nesta última semana do primeiro semestre legislativo”, afirmou o ministro.

“Essa é a razão pela qual não vislumbro ocorrente, ao menos neste momento, o requisito concernente ao 'periculum in mora', pois tenho presente que as declarações emanadas de agentes públicos, como o eminente presidente da Câmara dos Deputados, gozam, quanto ao seu conteúdo, da presunção de veracidade”, salientou o ministro Celso de Mello.

Assim, o ministro destacou que a situação descrita nos autos evidencia que inexistente risco de irreversibilidade. "A medida liminar não se justificará, ao menos no presente momento, pois – tal como sucede na espécie – a alegada situação de dano potencial restará descaracterizada e totalmente afastada, se, a final, vier a ser concedido o “writ” mandamental, cujo deferimento terá o condão, até mesmo, uma vez formulado pleito nesse sentido, de invalidar e de desconstituir o ato impugnado”, concluiu.

Fonte:   STF - Supremo Tribunal Federal

Revisão: Mateus Matos

Leia mais sobre o mesmo caso: Redução da Maioridade Penal
» Câmara aprova nova proposta que reduz maioridade penal para crimes hediondos -02/07/2015
» OAB e magistrados dizem que emenda que reduz maioridade penal é inconstitucional -02/07/2015
» Redução da maioridade penal para crimes graves é rejeitada -01/07/2015
» Redução da maioridade ampliaria exclusão social, diz ministro Kukina -24/06/2015
» Brasil poderá ter mais de 1 milhão de presos até 2022, diz Cardozo -24/06/2015
» Comissão da Câmara aprova redução da maioridade para crimes graves -17/06/2015
» Câmara vota redução da maioridade penal até o fim do mês, diz Cunha -01/06/2015
» Ministros de FHC, Lula e Dilma assinam carta contra redução da maioridade penal -01/05/2015
» CCJ aprova admissibilidade da proposta que reduz maioridade penal para 16 anos -31/03/2015
Leia mais sobre o mesmo tema: Infância e Juventude
» Trump recua e assina ordem para que EUA evitem separar pais e filhos -20/06/2018
» Supremo concede Habeas Corpus coletivo a gestantes e mães de filhos com até 12 anos presas preventivamente -20/02/2018
» MPF processa Google por publicidade infantil ilegal no Youtube -20/09/2016
» Condenado à prisão de pai que bateu no filho porque não trouxe bebida do mercado -03/08/2016
» Estupro de vulnerável pode ser caracterizado ainda que sem contato físico -03/08/2016
» Câmara aprova nova proposta que reduz maioridade penal para crimes hediondos -02/07/2015
» OAB e magistrados dizem que emenda que reduz maioridade penal é inconstitucional -02/07/2015
» Redução da maioridade penal para crimes graves é rejeitada -01/07/2015
» Redução da maioridade ampliaria exclusão social, diz ministro Kukina -24/06/2015
Leia mais sobre a mesma matéria: Direito Processual Constitucional
» Apesar da nova lei, decisão do TJRJ mantém funcionamento do Uber -29/11/2016
» Lewandowski nega mais dois recursos na Comissão de Impeachment -08/06/2016
» Negada liminar que buscava suspender o processo de impeachment -11/05/2016
» AGU recorre ao Supremo para suspender processo de impeachment -10/05/2016
» Teori será o relator do mandado de segurança da AGU para suspender impeachment -10/05/2016
» Comissão do Senado aprova relatório pela admissibilidade do pedido de impeachment -06/05/2016
» Confederação de servidores públicos questiona Simples Nacional -25/06/2007
» OAB: Poder de tribunal no processo eletrônico é inconstitucional -09/03/2007
» STF iguala o teto da justiça estadual com a federal -01/03/2007
772 visitantes leram este conteúdo até o momento


    Nenhum comentário a respeito, até o momento.






Deixe sua opinião:
Por favor, desligue o CAPS-LOCK.



PESQUISA
DIGITE A PALAVRA:


ESCOLHA EM QUE CAMPO PESQUISAR:


Todas as palavras
Expressão exata