Adicionar RSS




Há    visitantes  além dos   membros online no site neste momento booked.net booked.net booked.net


   Adicionar RSS de Decisões & Notícias

Decisões & Notícias

 
FILTROS
Direito de Família
Guarda compartilhada de filhos está sujeita também a fatores geográficos
|Divórcio & Separação



Publicado em 07/07/2016

        BRASÍLIA, DF - Em decisão unânime, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu ser inviável a implementação de guarda compartilhada em caso de pais que moram em cidades diferentes. Para o colegiado, a dificuldade geográfica impede a realização do princípio do melhor interesse dos menores às filhas do casal.

       Nas razões do recurso especial, o pai alegou que após a entrada em vigor da Lei 13.058/14, a guarda compartilhada passou a ser regra no País, mesmo quando não há acordo entre os genitores. Defendeu, entretanto, que a guarda unilateral fosse revertida em seu favor, uma vez que a mãe mudou de cidade sem a sua anuência e após o deferimento da guarda.

       Caso concreto

       O relator, ministro Villas Bôas Cueva, negou o pedido. Ele reconheceu que a guarda compartilhada tem preferência no ordenamento jurídico brasileiro e que sua implementação não se condiciona à boa convivência entre os pais, mas destacou que as peculiaridades do caso concreto demonstram a existência de impedimento insuperável.

       “Na hipótese, a modificação da rotina das crianças, ou até mesmo a possível alternância de residência, impactaria drasticamente a vida das menores. Por exemplo, não é factível vislumbrar que as crianças, porventura, estudassem alternativamente em colégios distintos a cada semana ou que frequentassem cursos a cada 15 dias quando estivessem com o pai ou com a mãe. Tal impasse é insuperável na via judicial”, explicou o ministro.

       Interesses legítimos

       Em relação ao pedido de inversão da guarda unilateral, Villas Bôas Cueva observou que o acórdão do tribunal de origem destacou que “a guarda foi concedida à mãe em respeito à situação de fato, mas principalmente em razão da impossibilidade prática do pedido, uma vez que os genitores moram em cidades distantes”.

       Rever esse entendimento, segundo o relator, exige o reexame de provas, o que é vedado em recurso especial, por aplicação da Súmula 7 do STJ.

       Villas Bôas Cueva observou, contudo, que “o fato de não se permitir a guarda compartilhada por absoluta impossibilidade física não quer dizer que as partes não devam tentar superar o distanciamento e eventuais desentendimentos pessoais em prol do bem-estar das filhas. A forte litigiosidade afirmada no acórdão deve ser superada para permitir a conformação mínima dos interesses legítimos de todos os membros da família”. 

*O número deste processo não é divulgado em razão de segredo de justiça.

Fonte:   STJ - Superior Tribunal de Justiça

Revisão: Mateus Matos

Leia mais sobre o mesmo tema: Divórcio & Separação
» Pacto antenupcial é solenidade indispensável para formalizar escolha de regime matrimonial diverso do legal -10/05/2018
» TJMG reconhece a mulher direito de assinar nome de solteira -26/01/2018
» Justiça brasileira define partilha de dinheiro depositado no exterior em caso de divórcio -24/11/2016
» Guarda compartilhada de menor é negada em caso de desentendimento dos pais -14/07/2016
» Falta de diálogo entre ex-cônjuges não inviabiliza guarda compartilhada -01/04/2016
» STJ considera legal divórcio feito sem audiência de conciliação -16/03/2016
» Direito de convivência familiar não se sobrepõe ao interesse maior de criança e jovem -09/12/2015
» É possível doação total dos bens quando o doador tiver fonte de renda periódica para sua subsistência -30/11/2015
» Revelia na ação de divórcio não autoriza exclusão de sobrenome de casada -16/06/2015
Leia mais sobre a mesma matéria: Direito de Família
» Pacto antenupcial é solenidade indispensável para formalizar escolha de regime matrimonial diverso do legal -10/05/2018
» Reconhecimento de multiparentalidade está condicionado ao interesse da criança -25/04/2018
» STJ decide que é possível prisão civil por pensão alimentícia devida a ex-cônjuge -20/04/2018
» TJMG reconhece a mulher direito de assinar nome de solteira -26/01/2018
» Guarda unilateral não impede ampliação do direito de visitas em prol da criança -16/09/2017
» STJ equipara Casamento a União Estável em caso de herança -23/08/2017
» Homem preso apesar de ter pagado pensão alimentícia é indenizado -03/03/2017
» Ministro do STJ determina retorno de criança à família substituta -30/01/2017
» STF decide que pais biológicos e afetivos têm as mesmas obrigações com filhos -21/09/2016
998 visitantes leram este conteúdo até o momento


    Nenhum comentário a respeito, até o momento.






Deixe sua opinião:
Por favor, desligue o CAPS-LOCK.



PESQUISA
DIGITE A PALAVRA:


ESCOLHA EM QUE CAMPO PESQUISAR:


Todas as palavras
Expressão exata