Adicionar RSS




Há    visitantes  além dos   membros online no site neste momento booked.net booked.net booked.net


   Adicionar RSS de Decisões & Notícias

Decisões & Notícias

 
FILTROS
Direitos Humanos
EUA abandonam Conselho de Direitos Humanos da ONU



Publicado em 19/06/2018

        BRASÍLIA, DF - O governo Trump retirou-se do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas na terça-feira, cumprindo uma promessa de deixar um órgão acusado de hipocrisia e criticado como tendencioso contra Israel.

"Por muito tempo, o Conselho de Direitos Humanos tem sido um protetor de violadores dos direitos humanos e uma onda de viés político", disse Nikki Haley, embaixador dos EUA na ONU, no Departamento de Estado em Washington. Ela disse que a decisão foi uma afirmação do respeito dos Estados Unidos pelos direitos humanos, um compromisso que “não nos permite continuar fazendo parte de uma organização hipócrita e egoísta que ridiculariza os direitos humanos. "

O conselho de 47 membros, criado em 2006 e sediado em Genebra, iniciou sua última sessão na segunda-feira com uma ampla campanha contra a política de imigração do presidente Donald Trump pelo alto comissário da ONU para os direitos humanos. Ele chamou a política de separar as crianças de pais que cruzam a fronteira do sul ilegalmente "inconscientes".

Tracking Trump: siga todos os passos da administração

A administração Trump está sob intensa crítica de grupos empresariais, organizações de direitos humanos e legisladores de ambos os partidos sobre a política recentemente imposta.

No trabalho

Embora esse momento fosse chocante, a retirada dos EUA já estava em andamento há algum tempo. O Conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, também se opôs à criação do organismo quando ele era embaixador dos EUA na ONU em 2006. O atual embaixador Haley alertou há um ano que os EUA desistiriam se o conselho não abordasse o que ela via como seu preconceito contra Israel. e o fato de que muitos de seus membros atuais - incluindo a China, a Arábia Saudita e o Egito - têm registros de direitos humanos pobres.

Condenando a retirada planejada do grupo da ONU, o senador Chris Coons, democrata que atua no Comitê de Relações Exteriores, disse que a decisão "envia uma mensagem clara de que o governo Trump não pretende liderar o mundo quando se trata de direitos humanos".

O conselho também tem sido um fórum para críticas às políticas econômicas de Trump. Em um relatório sobre os EUA que deverá ser submetido ao Conselho de Direitos Humanos nesta semana, Philip Alston, o relator da ONU sobre a pobreza, disse que a revisão fiscal do presidente "beneficiou de forma esmagadora a desigualdade rica e piorada".

O relatório diz que, embora os EUA tenham sido os mais desiguais entre os países desenvolvidos, está piorando com Trump. "As políticas adotadas no ano passado parecem deliberadamente projetadas para remover as proteções básicas dos mais pobres", afirmou.

Chamadas para Revamp

Até mesmo alguns críticos do conselho de direitos humanos pediram para continuar a pressionar por uma reformulação do corpo ao invés de abandoná-lo.

No dia da abertura da atual sessão do conselho, o secretário de Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, criticou o perene item da agenda dedicado a Israel e aos territórios palestinos, chamando-o de "prejudicial à causa da paz". cego ao valor deste conselho ”.

O conselho está agendado para discutir Israel e os territórios palestinos em 2 de julho, de acordo com sua agenda.

"A retirada do governo Trump é um triste reflexo de sua política unidimensional de direitos humanos - defender abusos israelenses de críticas tem precedência acima de tudo", disse o diretor executivo da Human Rights Watch, Kenneth Roth, em um comunicado. "Outros governos terão que redobrar seus esforços para garantir que o conselho aborde os problemas mais sérios de direitos humanos do mundo."

Fonte:   ODireito.com

Revisão: Mateus Matos

Leia mais sobre a mesma matéria: Direitos Humanos
» Brasil é condenado por não investigar assassinato e tortura de Vladimir Herzog -04/07/2018
» Trump recua e assina ordem para que EUA evitem separar pais e filhos -20/06/2018
» Defensoria pública quer revogar lei que cria foro para militares -15/05/2018
» Itamaraty aguarda posição dos EUA sobre acesso a documentos da CIA -15/05/2018
» Brasil tem mais de 86 mil pedidos de refúgio em tramitação; venezuelanos lideram -19/04/2018
» Entidades pedem nova Lei de Migração e direito a voto para estrangeiros -11/07/2016
» Relatório aponta 55 violações à liberdade de expressão em 2014 no país -03/05/2015
» Ministros de FHC, Lula e Dilma assinam carta contra redução da maioridade penal -01/05/2015
» Campanha Chega de Fiu Fiu quer o fim do assédio a mulheres em locais públicos -08/12/2014
149 visitantes leram este conteúdo até o momento


    Nenhum comentário a respeito, até o momento.






Deixe sua opinião:
Por favor, desligue o CAPS-LOCK.



PESQUISA
DIGITE A PALAVRA:


ESCOLHA EM QUE CAMPO PESQUISAR:


Todas as palavras
Expressão exata